CARTA AO LEITOR

2020: o ano em que a inovação ultrapassou a barreira dos negócios

agenda da transformação digital na indústria financeira já prometia marcar o ano de 2020 como um período revolucionário. Os processos de regulação do open banking e do novo sistema de pagamentos instantâneos (PIX) apontavam para a construção de novos modelos de negócios que mudariam para sempre a relação do consumidor com produtos e serviços bancários. Mas quis o destino que essa expectativa fosse superada em muito em termos de novidades.

   Estimulados pela empatia com os necessitados, bancos, fintechs e todo o ecossistema se empenharam na tarefa de criar soluções para amenizar os efeitos da pandemia da Covid-19. Dessa forma, surgiram novas soluções para estimular doações, facilitar a concessão de crédito, agilizar compras e pagamentos pelo comércio eletrônico, assim como muitas outras propostas.

   Nesta edição do Anuário Brasileiro de Bancos, descrevemos algumas delas. Esses exemplos deixam claro que, se há um setor no qual a expressão “novo normal” fará todo sentido é, sem dúvida, a indústria financeira.

   O open banking colocará de uma vez por todas o cliente no topo da pirâmide de poder. Ele agora poderá escolher o produto que quiser, com as condições que achar mais interessantes, sem a necessidade de passar por estágios burocráticos e desestimulantes. As instituições financeiras terão oportunidade de ampliar os canais de distribuição e melhorar a experiência dos clientes.

   O PIX, por sua vez, promete trazer uma facilidade muito grande para as transações financeiras do dia a dia, a ponto de estas se tornarem quase imperceptíveis. Pagar uma compra será como dar continuidade a uma conversa num aplicativo de mensageria, e, melhor, o recebedor terá o recurso disponível em sua conta em questão de segundos.
Por essas e outras razões, os executivos, especialistas e formadores de opinião presentes nas próximas páginas exibem uma visão otimista que vai além dos negócios. Segundo eles, uma das lições a serem apreendidas de 2020, é que a solidariedade, a empatia e a sensibilidade com o próximo tornam a inovação muito mais forte.

   Que assim seja.

   Boa leitura.

Marcos Cantarino
Publisher

Regina Helena Crespo
Editora

Rolar para cima